Foram das entranhas neurotransmissoras que nasceu e quatro meses depois pariu sua mãe. Hipocrisis é o surto de cores saturadas que nos agarramos para tentar suportar nossas verdades inconscientes, ela reconhece as mentiras nas verdades e não se martiriza, pois ironicamente, a hipocrisia não é hipócrita. Ela se sabe e se reconhece.

Hipocrisis

Hipocrisis emergiu de nossa vontade em ser o que idealizamos, da busca constante por uma certeza binária e do afogamento daquilo que tentamos ignorar. O não enfrentamento do ser é a célula embrionária de Hipocrisis. A sua formação consiste na negação de quem somos, naquilo que aceitamos e quem gostaríamos de ser. É uma unidade consciente, não-binária, não é preto no branco, embora possa de valer destas cores. É um escracho óbvio. E foi justamente por ser óbvia que pariu àquela que lhe deu à luz: Pia Fraus.